sexta-feira, 21 de setembro de 2018


Espaço de debate acerca das Políticas Públicas Culturais acontece no dia 9 de outubro.

Acontece na terça-feira, 9 de outubro, das 8h30 às 17 horas, o 5º Fórum Municipal de Cultura de Bombinhas com o tema Arte, Cultura e Desenvolvimento”, que tem por objetivo proporcionar o debate cultural, articular as setoriais artísticas e promover o intercâmbio entre os agentes e produtores culturais e artistas.

A programação conta com relatos de experiências, discussão sobre gestão cultural, importância das setoriais, do Conselho Municipal de Cultura e da construção de Políticas Públicas Culturais, e, a eleição dos Conselheiros das Setoriais de Música e Audiovisual, cadeiras ainda sem representantes no ComCultura. Inscrições através do formulário disponível no blog da FMC (www.culturabombinhas.com.br), por meio do link: https://goo.gl/forms/sbVixuAAmRwaVQMk2

A FMC convida os atores culturais para participar deste importante e democrático espaço de debate sobre as políticas públicas culturais e suas deliberações.

O quê: 5º Fórum Municipal de Cultural “Arte, Cultura e Desenvolvimento”
Quando: 9 de outubro, terça-feira, das 8h30 às 17 horas.
Onde: Câmara de Vereadores de Bombinhas, Rua Baleia Jubarte, 344, José Amândio.
Realização: Prefeitura de Bombinhas, através da Fundação Muncipal de Cultura de Bombinhas
Apoio: Conselho Muncipal de Políticas Culturais de Bombinhas – ComCultura e Câmara Municipal de Vereadores

Programação
8h30 Credenciamento
9h00 Solenidade de Abertura
9h30 Construindo a Economia Criativa – Mariene de Sena Silva – Labecoso/Udesc
10h30 Relato de Experiência da Economia Criativa
10h45 Intervalo
11h00 Informação e Comunicação na Cultura – Jorge Dolzan – Dir. da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte
12h00 Intervalo para Almoço
13h30 Painel: Sociedade Civil e Gestão Cultural
Setoriais Artísticas: Pra quê? - Deivison Garcia – Gerente de Cultura da Sec. de Turismo Cultura e Esporte
Quer um conselho? A Importância dos Conselhos Municipais na Construção das Políticas Públicas – Prof° Luiz Filipe Goldfeder Reinecke
ComCultura: Ações e Aspirações – Jonatan Bardini – Presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais
15h30 Intervalo
15h45 Fundo Municipal de Cultura como vetor de desenvolvimento – Nívea Maria da Silva Bücker – Presidente da Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas
16h40 Eleição dos Conselheiros da Música e Audiovisual para ComCultura
17h00 Encerramento

segunda-feira, 17 de setembro de 2018



Troca de experiências, vivências e energias é o resumo do debate em torno do Leréu em Bombinhas.


Foi realizado no último final de semana, 15 e 16 de setembro, o 1ª Leréu D’ Angola de Bombinhas contemplando atividades em vários espaços, como oficina de capoeira no Cei Cantinho da Felicidade em Bombas, local onde o organizador professor de capoeira Marquinho – Marcos Aurino Pinheiro, ministra suas aulas gratuitamente à comunidade, samba de roda no Mestre das Águas e roda de conversa e oficina no Ponto de Memória Museu Comunitário Engenho do Sertão.

As atividades contaram com a presença do Mestre Plínio Ferreira de São Paulo, que veio compartilhar seus saberes com o público local e cidades vizinhas. E foi justamente o domingo com a roda de conversa, que o acontecimento teve se ponto máximo com além do Mestre Plínio e do Marquinho, a participação do José Lino Pereira o Mestre Careca, de Itajaí, dos Mestres bombinenses Rosa Melo, Darci Gabriel, Paulinho Gabriel e Lilo – Flávio José da Silva, e os músicos Carlinhos Ribeiro e André Gomes de Miranda (futuros mestres quem sabe), a mediação foi de Aline Vieira.


Mestre Plínio falou da beleza explícita em parar, respeitar o tempo, a cultura e poder viver a troca de experiências que o 1º Leréu D ‘Agola ofereceu: “a gente precisa de saúde mental, espiritual e física. O mundo que a gente vive é tudo tão imediato, tudo tão rápido, e estar aqui é um momento de crescimento pessoal e pra nossa escola também. Então só tenho a agradecer”. O músico André Gomes de Miranda, bisneto do gaiteiro cantador João Basta, resumiu o sentimento de todos os presentes: “em momentos assim que a gente entende porque uma pessoa é chamada de Mestre, porquê ela te coloca em conexão com o que realmente importa nessa vida”.

O Leréu é uma manifestação que se assemelha a toada do Boi de Pau (Boi de Mamão) mas que traz pra si uma rufada no tambor bem característica desse folguedo, onde além dos versos de improviso e a cantoria, tem nos pés, num sapeado próprio, uma forte marca. Os Mestres bombinenses citados viveram essa manifestação, inclusive estão prontos para reiniciar essas andanças e, generosamente, repassaram ao público presente seus conhecimentos. O debate também abordou a herança cultural africana, inclusive a capoeira e o Leréu são dois exemplos, o Boi de Pau e o Terno de Reis, a colonização e seus mitos em torno da açorianidade e a cultura popular como um todo.

A conversa terminou com a cantoria de Rosa e Darci relembrando os cantos que sua mãe, dona Maria, entoava, e um samba de roda especialmente feito para quele momento por Mestre Plínio.

Logo após a roda de conversa foi servido um café tradicional e em seguida Mestre Plínio ministrou sua oficina de samba de roda.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018




Cultura propicia aula de História Bombinense com direito a cantoria e percussão.

Na tarde da última terça-feira, 11 de setembro, a Cultura foi o conhecimento repassado aos alunos da Escola do Mar, localizada junto ao Galpão dos Pescadores/Secretaria da Pesca, no bairro de Zimbros. A segunda das cinco aulas a cargo da Fundação Municipal de Cultura foi sobre a História Bombinense, seus preceitos, conceitos, colonização, enfim a ancestralidade que embasa os dias atuais e fundamenta o amanhã. A palavra da vez foi por conta do escritor, pesquisador da cultura popular, músico, compositor e professor de capoeira Marquinho – Marcos Aurino Pinheiro, que além de repassar um pouco de seus saberes, ao final proporcionou a vivência com os instrumentos de percussão e uma cantoria aos alunos.

A Escola do Mar é um projeto interdisciplinar ancorado nas esferas da educação, pesca, cultura, meio ambiente, turismo e esporte, que teve seu início em 23 de agosto. São 20 alunos oriundos dos nonos anos das Escolas de Educação Básica Edith Willeck, Dona Dilma Mafra e Manoel José da Silva. Tem por objetivo trabalhar correlativos entre os saberes curriculares e os populares, vivenciar, fortalecer e propiciar a manutenção da identidade e vocação pesqueira bombinense. Para tanto, realiza encontros dos detentores de saberes nas mais diversas áreas e ambientes colocando o aluno em contato direto com a fonte.

Em sua aula sobre a História Bombinense Marquinho levou os alunos aos primórdios dos primeiros habitantes e esclareceu a miscelânea étnica que compõem a península, bem como o litoral como todo, e mesmo o estado catarinense, já que são 24 etnias em Santa Catarina, no intuito de provocar indagações e quem saber formar novos pesquisadores. “Se agarrem na história, vocês são a nossa história, nossa continuidade e sem a cultura popular não tem história. História não é somente o que o homem escreve mas também o que ele pensa”, falou Marquinhos aos atentos alunos.

Ana Júlia Machado de Souza tem 13 anos e é estudante da EBM Dona Dilma Mafra, além de fazer alguns questionamentos foi ela quem no atabaque conduziu a marcação da cantoria. “Eu gostei muito da aula, bem criativa, não é uma aula chata que você só fica parada, e também bastante conhecimento repassado. Muito bom aprender história assim”.

A coordenação do projeto é da Secretaria de Educação que tem por diretora a professora Silva Leone. 



terça-feira, 11 de setembro de 2018




Manifestação ancestral será vivenciada em Bombinhas neste final de semana.

Acontece nos dias 15 e 16 de setembro o 1º Leréu D' Angola de Bombinhas com a presença do Mestre de Capoeira Angola Plínio Ferreira, fundador do Centro de Capoeira Angola Angoleiro Sim Sinhô, no bairro da Lapa em São Paulo. Em sua primeira edição, além da vivência com Mestre Plínio, seus conhecimentos de Capoeira Angola e samba de roda, serão abordados os caminhos para o registro e revitalização do Leréu, uma manifestação cultural de samba pisado que está intimamente ligada à cultura das roças e engenhos desde o tempo da escravidão, e que permanece viva nas memórias de antigos brincantes da cidade de Bombinhas.

O organizador do evento Marquinhos – Marcos Aurino Pinheiro, professor de capoeira D ‘Angola e pesquisador da cultura popular, fala sobre o resgate do Leréu em Bombinhas e no estado como um todo. “Há em nossa história um vazio, um aleijo cultural quase despercebido, um fundamento não compartilhado em tempo. Muitos Mestres se foram sem que seus conhecimentos fossem descortinados. O Leréu é uma dessas manifestações. Intimamente ligado à cultura das roças, parece ser um elo perdido, capaz de remontar um passado renegado em todo o estado de Santa Catarina. Um passado onde o trabalho escravo determinou riquezas aos Senhores de Engenho, quando, através desse folguedo, retumbando seus tambores, os negros brincavam nos dezembros catarinenses”.

Mestre Plinio desenvolve um trabalho de revitalização de conhecimentos de antigos mestres de capoeira, em sua escola a influência de Mestre Gato Preto, Mestre Môa do Kantendê, Mestre Jogo de Dentro, Mestre João Grande, dentre outros mestres, são perceptíveis. Com núcleos nos estados de Santa Catarina, Goiás, São Paulo e em outros países da Europa e América Latina a escola tem difundido a Capoeira Angola, o samba de roda e o afoxé em todo o mundo.

Programação

Onde: CEI Cantinho da Felicidade, Av. Fragata, s/n, Bombas
Quando: 15 de setembro, sábado
15h00: Movimento de Capoeira Angola com Mestre Plínio Ferreira
18h00: Roda de Capoeira Angola

Onde: Mestre das Águas, Canto Rio, Praia de Bombinhas, Centro
21h30: Samba de roda na fogueira
Quando: 16 de Setembro, domingo
Onde: Museu Comunitário Engenho do Sertão, rua Abacate, 452, Sertãozinho
14h00: Roda de conversa sobre o Leréu – “Manifestação cultural perdida na história de Bombinhas ligada à cultura das roças, engenhos e boi de mamão”. Com a participação de acadêmicos, artistas, mestres e personalidades da comunidade tradicional de Bombinhas.
Mediadores: Marcos Aurino Pinheiro e Aline Vieira.
16h30: Oficina de samba de roda.
18h30: Papoeira e roda
Custo: As duas oficinas, inscrição R$ 50,00
Informações: Marcos Aurino Pinheiro (47) 99695-1096

segunda-feira, 10 de setembro de 2018




Feira de Artes e Artesanato acontece no próximo domingo, 16 de setembro.

Acontece no próximo domingo, 16 de setembro, o Balaio Cultural – Feira de Artes e Artesanato, realizado pelo grupo de Artesãos e Artistas de Bombinhas – Gaab, que oferece à comunidade e visitantes produtos artesanais e artísticos para apreciação e comercialização, praça de alimentação e exibições de artistas bombinenses e da região.

Em sua 15ª edição, a feira leva para rua Parati em sua abertura o grupo de "Chorinho" do Projeto Oficinas Culturais da Fundação Municipal de Cultura, sob a coordenação do professor João Galhardo, em seguida acontece o Palco Livre, apresentação do Coral Infantojuvenil EnCanto, sob a batuta da professora Anna Lehm, Grupo de Percussão “A cor do Som” sob coordenação do professor Erivaldo Cavalcante, os dois últimos também frutos do Projeto Oficinas Culturais da FMC. Seguidos pela exibição teatral “Ana Cigana” da Cia Sandra Baron e a Zumba no Balaio com Rosanne Leme da Praia Gym Academia. A novidade desta edição é o Palco Livre que acontece às 14 horas, propiciando acesso àqueles que desejarem apresentar sua arte.

O Balaio Cultural é realizado pelo Gaab com apoio da Fundação Municipal de Cultura, na Rua Parati, quadra da praia, mesmo espaço da Feirinha de Verão, das 11 às 18 horas.

O quê: Balaio Cultural – Feira de Artes e Artesanato
Quando: 16 de setembro, domingo, das 11 às 18 horas
Onde: Rua Parati, quadra da praia, mesmo espaço da Feirinha de Verão, Centro
Realização: Grupo de Artesãos e Artistas de Bombinhas – Gaab
Apoio: Prefeitura de Bombinhas, Fundação Mucnipal de Cultura de Bombinhas

Programação
11 horas: Grupo de "Chorinho" da FMC
13 horas: Coral Infantojuvenil EnCanto da FMC
14 horas: Palco Livre
15 horas: Grupo de Percussão "A Cor do Som" da FMC
16 horas: "Ana Cigana" com a Cia Sandra Baron
17 horas: "Zumba no Balaio", com Rosanne Leme
18 horas: Encerramento



Acontecimento celebra em Bombinhas a Semana Farroupilha.



Acontece no dia 16 de setembro, domingo, às 9 horas, a 1ª Mateada em celebração a Semana Farroupilha de 2018, realizada pelo Grupo de Dança Compasso Gaúcho na Praça da Cultura Popular – Antenor Júlio do Espírito Santo, rua Peixe Dourado s/n, ao lado da EBM Dona Dilma Mafra.

O encontro tem por objetivo transmitir a integração, incentivo, e preservação da cultura riograndense através do chimarrão, bebida típica do Rio Grande do Sul, que simboliza a hospitalidade, a amizade e a união entre povos. Para participar não é necessário fazer inscrição, basta comparecer e aproveitar a bebida regada a uma boa roda de conversa.

O quê: 1ª Mateada de Bombinhas
Quando: 16 de setembro, domingo, às 9h00
Onde: Praça da Cultura Popular – Antenor Júlio do Espírito Santo, rua Peixe Dourado, Centro, ao lado da EBM Dona Dilma Mafra
Realização: Grupo Compasso Gaúcho
Apoio: Prefeitura de Bombinhas, Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas









Premiação e Livro fotográfico "Cerca Rapazi" é lançado em Bombinhas em noite de arte, alegria e interação.


Foi realizada na noite de sexta-feira, 31 de agosto, a premiação do concurso "Cerca Rapazi" e o lançamento do livro homônimo, realizado pela Prefeitura de Bombinhas, através da Fundação Municipal de Cultura e Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico, no salão paroquial da Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, no Centro. A ocasião reuniu os pescadores, representantes do legislativo, comunidade em geral e os Mestres da Cultura Tradicional de Bombinhas Naro Pinheiro, Zequinha Olímpio e Sena, os dois primeiros da pesca e o último de boi de mamão.

A solenidade foi aberta pelo Coral Infantojuvenil EnCanto e os alunos de Técnica Vocal, que com a regência da professora Anna Lehm e acompanhados pela pianista Maria José Delgado, interpretaram canções que falam do mar, e deram a tônica da noite: pesca, arte e alegria. Em seguida os agraciados da noite foram chamados para receber suas medalhas, certificados, um exemplar do livro e um mimo cedido por empresários bombinenses. Samuel de Oliveira foi o nome da noite ao levar para casa cinco colocações: 1º lugar nas categorias “A espera do peixe”, “Mulheres na praia” e “O Cerco Saragaço”, e o 3º lugar nas categorias “Apetrechos da pesca” e “Tem peixe na mesa”. Ele ressalta que não participou pensando em ganhar, mas sim com a intenção de mostrar seu trabalho. “Foi uma noite maravilhosa, foram os primeiros prêmios pelas minhas fotos. Eu as inscrevi com a intenção de mostrar um pouco do meu trabalho que é uma coisa que eu amo: tirar fotos de pessoas, da natureza, principalmente da cultura e da pesca da tainha que eu acho bem legal e muito importante”, Samuel dedica-se a fotografar a Pesca Artesanal da Tainha em Bombinhas desde 2013.

Além de Samuel foram premiados: Gabriela Lais Becker, Mário Ávila de Oliveira, Wenderson Machado, Sérgio Luiz de Melo, Vinícius Vasconcellos, Carlos Eduardo Boaventura e Tiago Cabral. E a melhor foto no voto popular a de Pedro Totta.
O empresário José Rodrigo da Silva, do Restaurante Canto do Macuco, um dos apoiadores do concurso, comenta que acompanha a Pesca Artesanal da Tainha há anos e o concurso foi uma oportunidade de colaborar com a divulgação da atividade: “participamos indiretamente apoiando e prestigiando a pesca e agora com a abertura do restaurante no Mariscal, sentimos vontade de colaborar de alguma forma, além dos pratos a base de peixe, típicos da culinária local, que servimos ao público”.

O turismólogo Luiz Antônio Patrício salienta o convívio entre os atores envolvidos no processo do concurso. “Essa interação entre fotógrafos, sendo a maioria de outras cidades ou pessoas que escolheram Bombinhas para viver, com os pescadores tradicionais, e os empresários que apoiaram o concurso é muito interessante e envolvente. Essa união resultou num convívio único e muito simbólico em nossa cidade”. Já a diretora de cultura Tábata Torres, enfatiza a importância de ter mais este registro da Pesca Artesanal da Tainha no município. “Ter este registro da Pesca Artesanal da Tainha em mãos, com a diversidade de olhares que o concurso proporcionou, é fundamental para que fortaleçamos a atividade e seu fomento, repasse e valorização”.

A premiação do concurso Cerca Rapazi foi realizada com o apoio das empresas: César Restaurante, Canto Madalena Bar, Restaurante Rancho da Ana, Sabor do Sal, Visco das Bombinhas, Edifica Loja Moda Feminina, Barão Bar e Restaurante, Sufalu moda cama, mesa e banho, Empório D' Matildes, Ateliê Miriam Vaccarelli, N da Lua e sr. Mario Pera.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018




Capacitação luso-brasileira será ministrada na Casa de Cultura, por meio do Edital “Mestra Elza Rosa”.


Inicia neste sábado, 1º de setembro, o curso de capacitação ministrado pelo Grupo Folclórico Mixtura “Legado Açoriano”, na Casa de Cultura de Piana do Crivo. O curso tem carga horária de 40 horas e será realizado nos dias 1º, 15 e 29 de Setembro, e 13 e 27 de Outubro, com encerramento no dia 03 de novembro. O público-alvo são professores da rede municipal e estadual de ensino, e também, disponibiliza cinco vagas para comunidade em geral, e tem seu foco na cultura luso-brasileira.

A capacitação é realizada com o patrocínio do Programa Municipal de Salvaguarda do Patrimônio Cultural, por meio do Edital “Mestra Elza Rosa”, da Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas.
As inscrições são gratuitas e devem ser efetuadas através do e-mail afolmix@gmail.com

O quê: capacitação “Legado Açoriano”
Onde: Casa da Cultura Piana do Crivo, rua Primavera, 28, Morrinhos
Quando: 1º, 15 e 29 de setembro, 13 e 27 de outubro e 03 de novembro
Realização: Associação Folclórica Mixtura
Inscrições e Informações: afolmix@gmail.com
Patrocínio: Prefeitura de Bombinhas, Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas, Programa Municipal de Salvaguarda do Patrimônio Cultural e Edital “Mestra Elza Rosa”


quarta-feira, 29 de agosto de 2018



Biblioteca Pública realiza piquenique com atividades embasadas na literatura infantil na praça do Zimbros.

Acontece amanhã, 30 de agosto o Literanique – Piquenique Literário, uma atividade da Biblioteca Pública Municipal Cruz, aberto ao público, pautado em diversas ações literárias e o bairro contemplado da vez é o Zimbros, na praça Morro do Céu – Antônio Roza, às 15 horas.

Programação
15 horas: Musicando – Música e movimento na praça, uma intervenção com a cantora e professora Anna Lehm
15h30: Circo da Goiaba (show de mágica, malabarismo e brincadeiras circenses)
16 horas: Piquenique

O quê: Literanique – Piquenique Literário
Dia 30 (quinta-feira) 15 horas
Onde: Praça Morro do Céu – Antônio Roza, rua Rio Tapajós, s/nº, Zimbros
Realização: Biblioteca Pública Municipal Cruz e Sousa
Promoção: Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas
Entrada e Classificação: Livres
Informações: telefone 3369-2690

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Foto Cook Mella

Em tarde de muita emoção, arte e homenagens a ALBSC seccional Bombinhas Mestre Atílio Antão festeja seu primeiro ano de existência.



Foto Cook Mella
No último sábado, 25 de agosto, a Academia de Letras do Brasil Santa Catarina, seccional Bombinhas, Mestre Atílio Antão, celebrou, junto a escritores e comunidade em geral, no auditório Dona Dinha – Alair Maria Stapait, da EEB Maria Rita Flor, seu 1º aniversário. A abertura contou com a presença da escritora Marcinha – Márcia Cristina Ferreira, presidente da seccional Bombinhas, professor escritor Miguel João Simão, presidente da ALBSC, da vereadora Márcia Pinheiro representando o legislativo municipal e da diretora de cultura Tábata Torres.

Foto Cook Mella
A arte reinou absoluta desde o início da solenidade com a apresentação do grupo de Técnica Vocal, sob a coordenação da professora Anna Lehm, do Projeto Oficinas Culturais da Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas, que interpretaram a canção "Yara Ybi", uma composição originalmente indígena, do aluno Luiz Henrique Stapait. O ponto máximo da festividade foi a entrega da Comenda Mestre Atílio Antão a escritores que ajudaram a construir a história da literatura bombinense, sendo agraciados: Dieter Hans Bruno Kohl por sua obra “Porto Belo, sua história, sua gente”, Luizilla Estivallet Pacheco por sua obra “Apaixonei-me por Bombinhas” atualmente denominada “Bombinhas um cantinho do Brasil”, Nelci Pinheiro do Espírito Santo pelos versos quase diariamente postados nas redes sociais, e a dona Ema – Noêmia Luíza da Silva por sua obra “Noêmia um exemplo”, falecida em 29 de julho de 2015 aos 93 anos, sendo os familiares representados pelas filhas Daca e Nice. Os homenageados tiveram seus históricos narrados, através de versos, pelos escritores Márcia Sena e Luciano Teixeira.

O escritor e historiador Dieter Kohl, fala da surpresa e emoção em receber a Comenda: “foi uma grata surpresa ter sido lembrado, já que Bombinhas ficou autônoma e perdi um pouco de contato com os locais, embora, mesmo na nova edição do meu livro conservei muitos dados e pessoas que fizeram história no lugar. Posso até dizer que minha iniciativa de registrar a história de Porto Belo e também, de forma indireta a de Bombinhas, inspirou várias pessoas a fazer o mesmo. Assim surgiram diversos livros onde estas contam suas experiências, tradições familiares e impressões. Só tenho a agradecer o que fizeram e estão fazendo em benefício da cultura e literatura local”.

Foto Cook Mella
O presidente da ALBSC, escritor Miguel Simão, ressalta o trabalho dos membros da instituição que se dedicam a literatura e a cultura de modo geral. “Esse contato direto com a comunidade é perceptível, é um grande feito homenagear quatro pessoas da comunidade que deixaram sua marca na literatura, isso é louvável. Pois, seus trabalhos são respaldados na comunidade, e foi visível a emoção nos familiares e nas demais pessoas presentes. Esta ação é uma marca, porquê das 100 Academias que nós temos instituídas no Estado, Bombinhas é destaque por esse trabalho de manutenção da história e da memória local”, enfatiza o presidente da ALBSC.

A presidente da seccional Bombinhas, escritora Marcinha, acentua o crescimento e a valorização da literatura na cidade e a participação da confraria nesse trabalho. “Somos um grupo pequeno, mas que fomenta e propõem o debate literário em Bombinhas e na região. E a partir do próximo ano teremos a adesão de novos membros e também da instituição da Academia Mirim, com isso pretendemos ampliar os trabalhos em Bombinhas, tendo como base a literatura”, enfatiza Marcinha, ainda destaca, que em meados de setembro a Academia começa a publicação trimestral do informativo “Um dedo de prosa”.

Foto Cook Mella
Encerrou a solenidade de aniversário da ALBSC seccional Bombinhas, Mestre Atílio Antão, a canção “Oração ao Mestre Atílio Antão”, composição do confrade Marquinho – Marcos Aurino Pinheiro, com a participação especial do Coral Infantojuvenil EnCanto, da Fundação de Cultura, com regência de Anna Lehm, e do professor de percussão Eri Cavalcante no pandeiro, mais um momento de muita luz e emoção.


A sessão solene de aniversário da Academia contou com o apoio cultural da Escola de Educação Básica Maria Rita Flor, da Prefeitura de Bombinhas, Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas, Chalés do Holandês, Farmácias Capitão Saúde, Nipoux Group, Evento Amigos do Boca, Continente Construtora e Incorporadora e da confreira Ana Paula da Silva. 

Foto Cook Mella