segunda-feira, 1 de junho de 2015


Em outubro Bombinhas sedia o 22º Açor e a preparação esta a todo vapor na comunidade escolar.

Em função da proximidade da grandiosa festa da cultura açoriana que Bombinhas sedia neste ano de 2015, os trabalhos de capacitação com as unidades escolares locais se tornam cada vez mais frequentes. São inúmeras visitas técnicas agendadas em ranchos de pesca, engenhos de farinha de mandioca, museus e palestras com Mestres da Cultura Tradicional locais e convidados de cidades vizinhas que vem falar um pouco sobre suas vivências e, principalmente, experiências com as atividades tradicionais e de herança açoriana encontradas na identidade cultural bombinense.

Durante toda segunda-feira, dia 1 de junho, os historiadores Joi Cletison e Francisco do Vale Pereira do Núcleo de Estudos Açorianos – Nea da Universidade Federal de Santa Catarina, em parceria com a Fundação Municipal de Cultura, estiveram palestrando sobre o tema que cada escola tem para desenvolver os trabalhos que serão expostos e apresentados durante a 22ª Festa da Cultura Açoriana de Santa Catarina.

Pela manhã foram contempladas as Escolas Estaduais Maria Rita Flor e Prefeito Leopoldo José Guerreiro e nos dois turnos as Escolas Municipais Edith Willecke e Dona Dilma Mafra. Nas explanações a curiosidade e dúvidas dos alunos foram sanadas sobre os conteúdos de colonização açoriana, caça as baleias, arquitetura luso brasileira ou portuguesa colonial, Pão por Deus e gastronomia.

O coordenador do Nea, Joi Cletisson, destaca estas intervenções produtivas e os questionamentos sejam eles quais forem, enriquecem ainda mais a palestra que se torna um grande debate. Nas dependências da EBM Dona Dilma Mafra o assunto pesca é visível por toda a escola que, segundo sua gestora Ivanilda Laurenço de Melo, cada dia introduzem um artefato, um cartaz, um objeto decorativo no intuito de criar uma aproximação com o tema da escola.

A unidade escolar trabalha com os temas pesca e caça a baleia. O segundo é um conteúdo que carece de literatura a respeito. A vinda de Joi possibilitou este repasse aos alunos. “Esse tema tem pouca informação, Joi repassou com clareza, trouxe um material riquíssimo que a escola se apropria e utilizará a partir de agora nas aulas e discussões a respeito. Mas o mais importante é que despertou o interesse da garotada, principalmente nos anos iniciais”, ressalta a gestora Ivanilda.

Os professores aproveitaram para solicitar mais material e palestras sobre os diversos temas que formam a cultura de base açoriana, com os quais podem desenvolver atividades enriquecedoras que possibilitam o despertar de competências e habilidades nos estudantes.

O Nea planeja um novo encontro ainda em junho a ser confirmado conforme a agenda da instituição. O 22º Açor acontece entre os dias 2 e 4 de outubro, no bairro de Bombas.