segunda-feira, 15 de junho de 2015

Entrega da Comenda pela Deputada Dra. Ana Luiz, Presidente da Assembleia Regional dos Açores. Foto de José Antonio Rodrigues 

No dia 25 de maio o Núcleo de Estudos Açorianos – Nea da UFSC, recebeu da Presidência da Assembleia Legislativa da Região Autônoma dos Açores em conjunto com a Presidência do Governo da Região Autônoma dos Açores, a outorga da Insígnia Honorífica Açoriana. Em seção solene na Assembleia Legislativa da Região Autônoma dos Açores – ALRAA, a cerimônia realizada na Ilha das Flores, na cidade das Lajes das Flores contou com a presença de diversas autoridades do Arquipélago, incluindo o Presidente dos Açores Vasco Alves Cordeiro, Deputados Regionais e Secretários de Governo.

O objetivo da deferência é homenagear pessoas singulares ou coletivas que se destaquem em trabalhos direcionados em benefício da comunidade e na valorização da Região Autônoma dos Açores. Além de representar o reconhecimento público para com os cidadãos ou instituições que, ao longo dos anos, contribuíram de forma expressiva para consolidar a identidade histórica, cultural e política do povo açoriano, pretende também, de forma simbólica, estimular a continuidade e emergência de feitos, méritos e virtudes com especial relevo na construção do patrimônio insular.

O coordenador do Nea, o historiador Joi Cletison representou o Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC e recebeu a deferência em nome da instituição. “Esta homenagem pertence a todas as instituições e pessoas que compõem o Conselho do Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC, espalhadas por mais de 40 municípios litorâneos catarinenses, pois o trabalho que o Nea faz, atuando em mais de 600 quilômetros de costa atlântica, é impossível de ser feito sem estas parcerias. O nosso trabalho só está sendo reconhecido em vários níveis graças a esta atuação conjunta, e com o mesmo objetivo de valorizar e preservar a herança cultural que os açorianos nos deixaram no século XVIII”, ressalta Joi.

A cerimônia integrou as comemorações dos 500 anos da cidade de Lages das Flores, na Ilha das Flores, Arquipélago dos Açores. No almoço de confraternização o cardápio foi um boldo do Espirito Santo (sopas do Espírito Santo), por coincidir o Dia da Região Autônoma ao do Espirito Santo, o Pentecoste. Durante o boldo os foliões cantaram, tiraram versos de improviso para a ocasião com a Bandeira do Divino presente. Encerrou a confraternização uma apresentação do Grupo Folclórico e Etnográfico Lajense, com várias modas e danças típicas das Lajes e dos Açores.

A presidente da Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas, Nívea Maria da Silva Bücker, ressalta a importância dessa honraria para os municípios e instituições membros ao Conselho Deliberativo do Nea, como a própria Fundação de Cultura, Instituto Boimamão e Grupo folclórico Mixtura. “Muitas vezes realizamos um trabalho de formiguinha com relação a cultura, plantamos hoje, regamos, cuidamos para colher muito tempo depois. Assim é o trabalho do Nea na região com herança de base açoriana, este prêmio reflete as ações do Nea em todas as instituições que trabalham junto a ele”, destaca Nívea, que, ainda, enfatiza que uma das ações mais importantes nestes 30 anos de existência da instituição é justamente a Festa da Cultura Açoriana de Santa Catarina que este ano Bombinhas sedia, entre os dias 2 e 4 de outubro.

O Núcleo de Estudos Açorianos completou em 2014, 30 anos de atividades na pesquisa, ensino e extensão.