terça-feira, 25 de agosto de 2015



Grupo bombinense estudioso de flauta doce recebe professora curitibana, amplia conhecimentos e intensifica paixão pelo instrumento.

Aconteceu na sexta-feira, dia 21 de agosto, o 2º Seminário do programa de "Musicalização através da Flauta Doce", da Yamaha do Brasil, realizado em Bombinhas por meio do Projeto Oficinas Culturais da Fundação Municipal de Cultura.

O seminário efetuado na sede administrativa da Fundação, e foi ministrado pela professora Hilda Natume, de Curitiba, docente há 20 anos, que veio especialmente para encontro de oito horas intitulado "Seminário de Contralto Sopro Novo". O programa contempla 12 meses, iniciou em março e até a formatura terá mais um seminário, totalizando 75 horas de monitoria e três seminários. Tem por objetivo formar alunos capacitados para lecionar musicalização, ou incentivar amantes dulcistas em Bombinhas, que encerram o curso com leitura dinâmica de partituras. Neste primeiro grupo bombinense uma aluna é professora, os demais são apaixonados pela música que despertaram para a flauta doce.
Camila segunda da esquerda para a direita.

Uma das alunas, a jovem Camila Pinheiro de Melo, estuda violino há um ano e oito meses, já lê partitura e consegue tocar flauta somente através da leitura das notas. Ela comenta que este Seminário trouxe conhecimentos novos em relação aos que estudaram até então, pois a flauta contralto tem movimentos diferenciados da soprano, e segundo Camila, isto complica um pouco mais. “Não somos acostumadas com esse movimento, mas estou muito feliz com o curso, gosto de aprender coisas novas. Agora estou aprendendo violão também. Eu quero tocar em grupo, na realidade gostaria de tocar numa orquestra”, enfatiza Camila.
Professora Hilda Natume.

A professora Hilda explica que a flauta doce é um instrumento muito antigo, barroco, mas que vem ao longo dos anos sendo introduzida em diversos estilos musicais. “O grupo teve um rendimento muito bom, nós trabalhamos muito nesse encontro: dançamos, cantamos, tocamos percussão e muita flauta doce claro, que é o nosso objetivo principal”, destaca a professora.

Além da flauta contralto os alunos tiveram contato com a sopranino e a baixo, suas futuras lições. O curso acontece no Sul do Brasil em Curitiba no Paraná, em Caxias do Sul e Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, além de Bombinhas, somente Joinville disponibiliza o programa.