terça-feira, 1 de dezembro de 2015



Escola Maria Rita Flor promove desmistificação sobre o continente africano em show proporcionado pelos alunos EMI e EMIEP

Na última sexta-feira, dia 27 de novembro, os alunos do ensino médio inovador e ensino médio inovador profissionalizante da Escola Estadual Maria Rita Flor, realizaram uma manhã de atividades culturais relacionadas ao continente africano. A ideia partiu dos professores, interdisciplinarmente, sob a coordenação da professora Franciele Coelho Bez, de história, para comemorar o Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro.

Em vez de cumprir o currículo com as atividades tradicionais, a equipe pedagógica inovou e deixou a provocação aos estudantes: Desmistificar a ideia da África ser um continente exótico, com religiosidades ligadas ao mal, pobre e atrasado, e criar uma concepção de África atual, sem preconceitos, que valorize a diversidade e a entenda como essencial para o crescimento da humanidade.

Os trabalhos não apenas cumpriram seu objetivo, como propiciaram aos alunos e comunidade convidada a prestigiar, uma viagem singular recheada de encantamentos pelas cinco regiões da África: Setentrional, Oriental, Ocidental, Central e Austral/Meridional. Foram exposições de máscaras, objetos em geral, gastronomia (com direito a prova), literatura, declamações, música, uma exposição sobre “Debret e a atualidade – os papéis sociais do negro no Brasil”, apresentação de um vídeo relacionado a poesia de Bertold Brecht e um desfile etnográfico Projeto Respeito à Diversidade “Tá na Moda”, permeando todas as regiões africanas estudadas.

Os próprios alunos do Ensino Médio Inovador – EMI, e Ensino Médio Integrado a Educação Profissional – EMIEP, produziram as releituras de vestimentas apresentadas no desfile e cada equipe teve seu representante na passarela diante de três juradas: a professora de geografia Joana D' Arc Portella Rocha, a presidente do Instituto BoiMamão Rosane Luchtenberg e a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Nívea Maria da Silva Bücker. Ao final o grupo escolheu como campões do desfile, em 1º lugar o aluno João do 201 EMI, o 2º lugar ficou com a dupla Bruno e Amanda do 201 EMIEP e o 3º lugar com Ágata e Nícolas do 202 EMIEP. Mas quem de fato ganhou foi o público presente que pôde apreciar um momento cultural e histórico tão interessante.

A presidente da FMC comenta que estas atividades são muito importantes para proporcionar a compreensão acerca da diversidade cultural. “As ações realizadas de forma interdisciplinar oferecem o conteúdo de forma prazerosa e cumpre perfeitamente o seu papel de despertar e inspirar, como vimos aqui sobre o continente africano”, destaca Nívea Maria.


Ao final o grupo de capoeira da Escola Maria Rita Flor, coordenados pelo professor Eri Cavalcante, somados a representantes do grupo de capoeira Angola de Bombinhas, do professor Marcos Aurino Pinheiro, fizeram uma bela roda, com direito a gingadas e sorrisos, sempre presentes nesta manifestação cultural.