terça-feira, 1 de março de 2016



A efervescência cultural bombinense fecha o Cultura na Rua, com banda local premiada e emociona público presente.

A noite de 27 de fevereiro iniciou com uma pequena garoa, consequência da trovoada que banhou o solo bombinense durante a tarde. Vagarosamente o público se achegou, e aos poucos as estrelas bordaram o céu, um teto condizente com o tamanho do talento que arena improvisada na Av. Vereador Manoel José dos Santos, receberia naquela noite.

O grupo Sarau Afro-Açoriano, formado por seis integrantes, se apresentou com cinco nesse espetáculo. Se considera bombinense/portobelense, tem um histórico de existência de cinco anos, idealizado por André Gomes Miranda, e com a atual formação estão na estrada há dois anos. Têm no currículo diversas apresentações no Estado e a primeira colocação no 2º Concurso de Música Ambiental de Itajaí no ano de 2015. Suas canções retratam as tradições da grande península, onde a oralidade é a personagem maior da poesia musicada que interpretam.
Neste espetáculo entoaram canções de terno de reis e em sua penúltima apresentação o boi de mamão ganhou a rua, representado pelo boi e o cavalinho, instante ovacionado pela meninada.

Renata e a filha Luíza de 10 anos. 
Um dos momentos mais emocionantes da noite foi a ciranda puxada pela Cilene que colocou crianças, adultos, idosos num bailado cadenciado, cheio de pluralidade e encantamento. Na plateia, turistas e comunidade, unificados pela poesia, entre eles a moradora do bairro Centro, Renata Gracelides Pinheiro, que acompanhada pelas filhas Luíza, de 10 anos, e Rafaela, de 12 anos e a sobrinha adolescente Helena, viajou na beleza dos cancioneiros. “Curti muito o show, mas o mais importante é mostrar para as minhas filhas um pouquinho da minha tradição”, destaca Renata.

André Miranda, assim como os parceiros, ao final do show envergava no rosto um sorriso enorme, e mesmo já veterano nos palcos e no próprio Cultura na Rua, já que é o segundo ano consecutivo que participam, estava encantado com apresentação. “O Sarau Afro-Açoriano trás a cultura popular ao seu lugar de direito”, ressalta André.
Além de Cilene e do fundador André, o grupo conta com os músicos Adri Benvenutti, Cezinha, Eri Cavalcante e Carlinhos Ribeiro. Este ano lançam seu primeiro DVD e prometem emocionar ainda mais o público da região.

O Cultura na Rua é uma promoção da Prefeitura de Bombinhas, através da Fundação Municipal de Cultura, acontece a partir do final do mês de dezembro até 28 de fevereiro. Este ano passaram pela arena improvisada dança, teatro, contação de histórias, música e grupos tradicionais de boi de mamão e terno de reis. A ideia é propiciar a comunidade e visitantes mais uma opção de atrativo durante o verão.

Foram agendadas 10 apresentações, das quais, duas tiveram que ser canceladas devido à instabilidade do tempo. No total, aproximadamente, 10 mil pessoas assistiram os artistas bombinenses e da região.


O presidente interino da Fundação Municipal de Cultura, Luiz Antonio Patricio, salienta que a proposta é oferecer ao público a diversidade cultural, oportunizando apresentações das mais variadas manifestações, do contemporâneo ao tradicional. “Nem bem encerramos o Cultura na Rua deste ano e já estamos pensando em 2017. A ideia é ampliar, levar aos demais bairros, ao menos uma apresentação em cada um”, destaca Luiz Antonio.