terça-feira, 17 de maio de 2016

Foto Velho Bruxo


Final de semana de tradição e desfile da primeira Corte Imperial da história de Bombinhas emociona.

O domingo, 15 de maio, amanheceu um tanto nublado mas não espantou o público que acompanhou o Cortejo Imperial, desde a Capelinha de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, até a igreja do Centro, Capela de Nossa Senhora dos Navegantes, na 1ª Festa do Divino Espírito Santo de Bombinhas.

Foto Velho Bruxo
O primeiro festejo bombinense inciou com o desfile da corte composta por 27 integrantes, acompanhada por oito Bandeiras do Divino Espírito Santo, sendo seis das Comunidades locais (São José, Nossa Senhora da imaculada Conceição, São Sebastião, Nossa Senhora Aparecida, São João Batista e a anfitriã Nossa Senhora dos Navegantes), mais a Bandeira da prefeita Ana Paula da Silva, a Paulinha, e a do grupo Folclórico Mixtura. Ainda, participaram do desfile a Banda Marcial de Tijucas e o cortejo litúrgico presidido pelo pároco local, Padre Silvano de Oliveira.

Ao passar pela Avenida Vereador Manoel José dos Santos a emoção era visível no semblante da comunidade que olhava encantada o Cortejo Imperial. O casal de imperadores Juninho e Daniela esbanjaram simpatia e representaram a população junto aos 25 integrantes da corte, entre bandeireiras, pajens, aias, espadachins e o casal de imperadores mirim. Ao chegar à igreja de Nossa Senhora dos Navegantes foi realizada a celebração e a coroação do Imperador e da Imperatriz.

Foto Daniel Vieira
A prefeita Paulinha, conduziu a bandeira com a qual foi presenteada, em 5 de maio, pela Comitiva do Divino Espírito Santo de Penha em visitação a Bombinhas, emocionada agradeceu o empenho do padre Silvano e da comunidade na realização do festejo. “Era visível a emoção das pessoas ao verem o cortejo passar. Uma coisa que me chamou a atenção foi a filhinha de apenas três anos da Soraia Pinheiro que disse que quer fazer parte da corte, ou seja, o repasse da tradição está garantido, isso é muio importante”, ressalta Paulinha.

O padre Silvano, empolgadíssimo, destacou o envolvimento da comunidade. “A dedicação de todos, tanto dos bandeireiros e comitivas na visitação, quanto na realização deste festejo foi muito importante, e culminou nesta festa linda que hoje concretizamos. E na segunda-feira faremos uma missa para anunciar o casal imperial de 2017”.

A quase centenária Dona Lira (Maria Idia Pinheiro) de 94 anos, resume o sentimento geral. Em seu rosto marcado pelo tempo, o sorriso e emoção fazia um misto único. Dona Lira falou que no passado, quando ainda era mocinha a mais 70 anos, ela acompanhou muitas visitas no município de Bandeiras de outras localidades. “Sempre veio Bandeira, de Porto Belo, Penha, Tijucas, e finalmente, as nossas desdem o ano passado. Mas festa nunca tivemos. Foi lindo, bem organizado. É uma tradição que precisa ser mantida”, destaca Dona Lira.

Logo sem seguida a celebração foi realizado um almoço no salão paroquial e por volta das 17 horas a alegria e a confraternização seguiu solta até as 22h00, com uma Domingueira.
Foto Daniel Vieira