sexta-feira, 1 de julho de 2016




Encontro de sabores e saberes encerra temporada 2016 com chave de ouro.

Na noite desta quinta-feira, 30 de junho, aconteceu o Pirão Cultural no Ponto de Memória Museu Comunitário Engenho do Sertão. O debate acerca da cultura indígena recebeu a doutorando em História Cultural pela Ufsc, Helena Alpini Rosa, que fez um apanhado sobre as heranças culturais no país, contextualizou todo o processo histórico desde a colonização, além de posicionar os presentes sobre a atual condição dos povos indígenas no Brasil, especialmente os Guarani presentes na região. Os costumes e tradições mais valorizados pelos Guarani estão relacionados aos alimentos e a maneira de prepará-los; o uso da língua materna, pois toda criança Guarani 'sabe o idioma'; e, às orientações para meninas e meninos em relação à passagem para a vida adulta”, destaca a professora, que esteve em Bombinhas devido a parceria da Fundação de Cultura com o Núcleo de Estudos Açorianos – Nea, da Ufsc.

A noite fria levou um público seleto, que além de absorver a riqueza dos conhecimentos compartilhados pela professora Helena, se encantou com a intervenção teatral realizada pela atriz Sandra Baron e pôde viajar pelos Contos da Ilha da Magia, no mundo bruxólico de Franklin Cascaes.
Ainda, o Instituto Boimamão, em parceria com a Associação Cultural Zé Amândio, propiciou uma degustação saborosa e inesquecível aos presentes, pirão com tainha frita, o que não deixa de ser uma celebração a safra recorde do ano de 2016.


A Fundação de Cultura de Bombinhas realiza o encontro de sabores e fazeres na intenção de levar à comunidade uma provocação sobre determinado tema da cultura e desta forma sensibilizar para a importância da manutenção dos saberes tradicionais e o conhecimento acerca da cultura em geral. 


A presidente da FMC, Nívea Maria da Silva Bücker comunicou a todos que o Pirão Cultural encerra suas atividades de 2016 com o sentimento de missão cumprida. “Sabemos o quanto é importante para a instituição e para a comunidade o Pirão Cultural, pois, ampliamos o debate sobre temas tradicionais. Acredito que encerramos essa temporada com muita bagagem e com vontade de fazer ainda mais”, ressalta Nívea.