terça-feira, 20 de dezembro de 2016


Mais uma noite memorável no show de violões, guitarra e percussão
Este final de ano os alunos do Projeto Oficinas Culturais têm proporcionado uma noite mais linda e emocionante que a outra, com sua dedicação, talento, vontade de fazer cada ano melhor e empenho. Alguns já demonstram uma postura de palco e competência dignas de artistas. E esta foi à tônica do show de encerramento das oficinas de violão, guitarra e percussão, realizado no auditório Alair Maria Stapait – Dona Dinha, da escola estadual Maria Rita Flor, na última sexta-feira, dia 16 de dezembro.
As oficinas de violão estão sob a docência dos professores Vinícius Reinaldo de Melo, Deivid Marques e João Galhardo que também é o professor de guitarra, e a de percussão é de responsabilidade do professor Eri Cavalcante. È normal uma confraternização dessas oficinas que costumam fazer uma canção todos juntos, enchem o palco de violões e guitarras, o que é muito bonito e aguardado pelo público. E não foi diferente este ano. Fizeram um solo e um duo com os irmãos Guilherme Pinheiro e Gustavo Furtina, do professor João Galhardo, os alunos do professor Vinícius Melo fizeram uma apresentação conjunta, e depois a famosa confraternização que neste ano trouxe a deliciosa novidade no vocal com a participação o aluno Luiz Fernando Camargo.

Em seguida os professores improvisaram um choro, e logo após, começou a apresentação de percussão. Com muita energia e vibração o show de encerramento de percussão também trouxe uma novidade: o grupo cantou e tocou, conforme explicação do professor Eri Cavalcante, é muito difícil esta proeza, o trabalho apresentado é o resultado de um ano inteiro nessa metodologia. Ao final foi feita uma ciranda com quase todos os presentes, e assim público e artistas de mãos dadas brindaram o encerramento do Projeto Oficinas Culturais.
O professor João Galhardo é o caçula dos professores, pois, integrou o projeto no início deste ano e fez seu primeiro encerramento sorridente e agradecido pela confiança em seu trabalho, falou sobre esta experiência: “eu encontrei aqui uma equipe muito organizada, preocupada com a gestão do projeto, com a qualidade e a produção das apresentações e isso é muito bom, na verdade além do que eu esperava. Os alunos eu peguei um grupo já iniciado e outro no básico, tive a experiência de trabalhar com os dois e me surpreendeu muito o resultado. Uma questão importante de destacar é que a música ajuda no desenvolvimento da disciplina e no respeito e isto se estende á escola e a vida social”, ressalta o professor.


Naturalmente que toda coruja gava sua cria, mas o casal Andrey Wilson Fortina e Aline Pinheiro pode babar à vontade, com dois filhos no palco. Sentados na primeira fila a família prestigiou extasiada, sem piscar os olhos à apresentação dos rebentos. “Pra nós ter os dois filhos na cultura, participando dessa inciativa é importante, porque estão num caminho bom que é a música e esta apresentação incentiva a continuidade no próximo ano. Estamos muito orgulhosos dos meninos e agradecemos o empenho do professor e a Fundação pelo projeto”, comenta Andrey, o filho mais velho Guilherme integra o projeto há oito anos e o caçula, Gustavo, há três anos.
Além dos professores titulares das oficinas o show contou com a participação especial da professora Anna Lehm e de dois frutos do projeto que hoje brilham na noite bombinense e da região: Ícaro Oliveira e Murilo Evandro Melo. A professora Regina Mafra, orientadora da EEB Maria Rita Flor, também, elogiou o acontecimento: “além da energia que passa foi um espetáculo maravilhoso”.

Com esta apresentação a Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas encerra seu ano artístico com a certeza do dever cumprido com a comunidade e lembra que o edital do Projeto Oficinas Culturais para o ano de 2017 será publicado em fevereiro.