segunda-feira, 25 de setembro de 2017


Debate sobre a colonização da região instiga pesquisadores e comunidade.

Aconteceu na última sexta-feira, 22 de setembro, mais uma edição do Pirão Cultural, no restaurante Rancho da Ana, parceiro na realização junto a Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas – FMC, por meio de um debate sobre os "200 anos da colônia Nova Eiriceira" numa roda de conversa com os jornalistas, escritores e pesquisadores: Rogério Pinheiro, Magru Floriano, Isaque de Borba Corrêa, Alcides Mafra, Thiago Furtado, Marquinhos – Marcos Aurino Pinheiro e Marcinha – Márcia Cristina Ferreira.

O debate gerou muitas reflexões e levantamentos acerca da açorianidade e herança eiriceirence na identidade cultural da região, e comprovou a necessidade de mais encontros para discussão sobre esse tema instigante. Os estudiosos falaram sobre suas pesquisas e de como refletem em seus trabalhos. A roda de conversa foi mediada pela bibliotecária Patrícia Vilma Pinheiro da Silva, que explica que o tema além de interessante, desperta questionamentos e impulsiona pesquisadores e comunidade. “Foi um momento ímpar para nos provocar em conhecer a fundo nossas origens. Muitas dúvidas surgiram durante o papo, sinal que deu supercerto, pois ficamos com vontade de quero mais.”

Rogério Pinheiro, idealizador da roda de conversa, é um estudioso da herança cultural eiriceirence e faz pela região encontros para celebrar os 200 anos da imigração portuguesa, e a FMC enxergou no tema um excelente conteúdo para a edição do Pirão Cultural de setembro. É dele a produção do documentário “Navegantes”, que incia as provocações da noite. Segundo Rogério Pinheiro, sua curiosidade surgiu a partir do trabalho de conclusão do curso de jornalismo e tornou-se uma paixão. “Descobri em minhas pesquisas que a população de Bombinhas e Porto Belo no que se refere à origem, são dessa região de Portugal. Eiriceira é uma vila de pescadores, próxima a Lisboa, que tem mais de 2000 mil anos de existência, e sempre foi uma vila pesqueira. As técnicas de pesca, marítimas vieram para cá junto com os colonos quando se estabeleceram aqui em Bombinhas”, destaca Rogério, que reside em Navegantes, mas é do tronco familiar Pinheiro de Bombinhas.

Terminado o debate, que, com certeza, renderia mais um encontro, Ana Cecíla Ohlson, chefe e proprietária do restaurante Rancho da Ana, e sua equipe, proporcionou aos presentes um verdadeiro banquete à base de peixe e pirão.

O próximo Pirão Cultural acontece no dia 26 de outubro, no Sons Beer Brew Pub, no Canto Grande.