segunda-feira, 20 de novembro de 2017



Contação de histórias, versos, declamações, palestras e demonstração das rendas locais marca participação bombinense na Feira do Livro de Balneário Piçarras.

No último sábado alguns artistas bombinenses participaram da 4ª Feira do Livro de Balneário Piçarras, organizada pela Fundação Cultural com o apoio da Academia de Letras do Brasil, seccional Balneário Piçarras, realizada entre os dias 16 e 19 de novembro. No dia 18, quem dominou o palco montado no Ginásio Aurélio Solano de Macedo foi a comitiva bombinense formada por cinco artistas, que estiveram na feira a convite da gestora da Fundação piçarrense Silvana Rebello

Quem começou a demonstração da arte local foi a pequena Sofia Lessa, de apenas 11 anos, que levou a “Verdadeira história da Rainha de copas”, uma intervenção que mistura contação de história com a apresentação da coreografia “Red Queen”, que encanta pela desenvoltura e beleza do bailado de Sofia, mas que também arranca muitos risos do público, pois ela busca entre os presentes parceiros para dançar, o que sempre ocasiona em momentos divertidos.

Em seguida foi a vez de Ana Conto e Maria Leitura, personagens literárias da poeta Márcia Sena, membro da ALBSC seccional Bombinhas Mestre Atílio Antão, e de Sofia Lessa, respectivamente. A dupla, que já acumula diversas exibições pela região, inclusive para autoridades catarinenses da alta esfera, arrancou aplausos com a história “Branca de Neve versada”, embasada no conto de fadas homônimo, adaptada em versos pela poeta. 

Enquanto as meninas brilhavam no palco, no espaço destinado aos artesões Alessandra Lacerda, rendeira que participou do projeto Vô Sabe, Vô Ensina, e absorveu tanto o conhecimento da renda de crivo, quanto de bilro, tecia suas rendas, falava sobre essa tradição e ainda, comercializava produtos de decoração e acessórios, feitos com essa matéria-prima com a marca Ale Lacerda Terapia e arte, desenvolvida durante a execução do projeto. Alessandra tem na produção a companhia da filha, Clara de Lacerda Mendes, de 10 anos, que se encaminha para tornar-se rendeira como a mãe. Mãe e filha fizeram este intercâmbio com os demais artesãos durante toda a tarde.

Já passava das 18 horas quando a escritora Márcia Cristina Ferreira, a Marcinha, presidente da Academia de Letras Bombinense e da ALBSC Microrregional Itajaí, que, também, integra a equipe da Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas, subiu ao palco para uma roda de conversa intitulada “Literatura popular e sua importância da identidade cultural”. O bate-papo descontraído levou a reflexão sobre a valorização da identidade de cada município na literatura realizada e de que forma isso contribui para o registro da história e do reconhecimento dos saberes de cada localidade.
“Nós ficamos em Piçarras por mais de cinco de horas e mostramos um pouco dos saberes e fazeres bombinenses. A minha experiência pessoal me deixou muito feliz, pois, pude falar sobre o meu trabalho na literatura e a influência da oralidade bombinense nele”, ressalta Marcinha, que também realizou um momento de autógrafos de seu livro “A eira, a roda e o tempo: um retrato de Bombinhas a partir do olhar de seus moradores”.

Finalizou a participação bombinense o escritor Luciano Teixeira que palestrou sobre as etapas de implantação e importância do “Plano do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas de Bombinhas”, uma inciativa inovadora que Balneário Piçarras toma como exemplo e deseja realizar. Luciano, que também é membro da Academia Bombinense de Letras, destaca seu orgulho de integrar o Grupo de Trabalho que executou o Plano e a representação bombinense no acontecimento. “Pra mim foi um dia inteiro de muita alegria, onde, além de prestigiar o evento, fazer novas amizades e contatos, pude falar sobre essa ação exitosa do PMLLLB. Espero, realmente, que nossa experiência contribua não apenas para Piçarras, mas toda a região”, enfatiza Luciano, que fez em seguida a declamação de poesias de seu livro “101 pemas do mar”, publicado este ano.

A comitiva bombinense esteve 4ª Feira do Livro de Balneário Piçarras através de parceria realizada entre a Fundação Cultural desta cidade e a Fundação Municipal de Cultura de Bombinhas e a Academia de Letras do Brasil seccional Bombinhas Mestre Atílio Antão, representando dessa forma, os artistas locais.