segunda-feira, 21 de maio de 2018


Foto Marcinha Ferreira




Diversas atividades com o patrimônio cultural em debate, marca Semana de Museus em Bombinhas.


Entre os dias 14 a 18 de maio foi realizado em Bombinhas a primeira Semana de Museus  concretizada pela Fundação Municipal de Cultura. A programação iniciou na segunda-feira, 14 de maio, com a vivência “É dia de engenho”, uma encenação realizada pelos alunos do 1º ano da EBM Dona Dilma Mafra, da aula de artes com a professora Fernanda Nadir da Silva, e a participação de Nadir Tomázia da Silva, Marília Dias e Tábata Torres.



Foto Marcinha Ferreira
No dia 17, quarta-feira, iniciou o Seminário de Patrimônio Cultural com as presenças dos alunos do 2º Ensino Médio integrado de Ensino Profissionalizante - EMIEP, da EEB Maria Rita Flor, acompanhados pelos professores Walter Sales e Yuri Gonçalves e os coordenadores Maria José Mafra e Fabiano Quito, comunidade em geral, agentes e conselheiros de cultura e a participação, mais que especial, da “engenheira” Mestra Rosa Dias. Pela manhã o professor Dr. Jorge Braun Neto palestrou sobre o tema “O bem que entrelaça gerações: patrimônio cultural imaterial e relacionalidade a partir da economia civil”, que apresentou de uma maneira bem didática conceitos de patrimônio imaterial, como identificar e sua relação econômica. “A economia é uma ciência da realidade, portanto, busca entender como é a nossa realidade social. Trazer esse assunto pra discussão citando exemplos típicos locais dentro do patrimônio cultural, mostra que existe uma capacidade de relações sociais com os pais, avós, a importância disso e o sentimento que se cria, tudo isso conta para pensarmos uma economia mais ampla baseada em relações e não somente em troca, que é a economia embasada em dinheiro”, ressalta o professor Dr. Jorge.

Em seguida a equipe do Centro de Estudos e Promoção da Agricultura em Grupo – Cepagro, de Florianópolis, formada pelas profissionais: a agrônoma karina de Lorenzi, a jornalista Ana Carolina Dionísio, a estagiária de comunicação Clara Comandolli, a Coordenadora do Ponto de Cultura historiadora Gabriella Pieroni, a educadora de campo Giseli Mioto e a economista Manuela Braganholo, fez uma fala sobre Inventário Participativo.

A coordenadora Maria José Mafra da EEB Maria Rita Flor, explica a importância do seminário para os alunos do EMIEP: "é de extrema importância está vivência, pois os alunos ficam encantado diretamente com a nossa cultura, aprendem cada vez mais a valorização das nossas raízes. As palestras e o local teve o seu objetivo alcançado que foi transmitir o conhecimento do patrimônio cultural, com o adicional do local proporcionar essa vivência maravilhosa".

Foto Marcinha Ferreira
No período vespertino foi realizada a oficina sobre o Inventário Participativo. O intuito é fazer a recolha de material referente aos 12 engenhos existentes em Bombinhas, juntá-los a outros municípios catarinenses para efetuar junto ao Iphan o Registro como Patrimônio Cultural Imaterial, processo que será executado a muitas mãos.

Na sexta-feira, 18 de maio, para encerrar o Seminário foi exibido o documentário “Cultura de Engenho”  e o documentário institucional sobre o Engenho do Miminho. O Seminário de Patrimônio Cultural contou com o apoio da Padaria e Restaurante Beira Mar e do Instituto BoiMamão.