segunda-feira, 29 de abril de 2019



Festival de Teatro começou no último sábado e segue até dia 5 de maio, com artistas de três continentes.


No sábado, 27 de abril, foi realizada a abertura do Festival Internacional de Teatro e Títeres de Rua – Festirua, na Av. Vereador Manoel José dos Santos, Centro, que segue até dia 5 de maio. Em sua segunda edição o Festirua é idealizado e realizado pela Cia. Sandra Baron, por meio de projeto aprovado no edital Mestre Cantalício Rocha do Fundo Municipal de Cultura, com patrocínio da Prefeitura de Bombinhas, Fundação Municipal de Cultura e apoio “Amigo da Cultura” do empresariado local e comunidade bombinense. Além da participação da atriz Sandra Baron, diretora da companhia homônima, participaram da solenidade de abertura a presidente interina da Fundação Municipal de Cultura, Tábata Torres, o representante do Ministério da Cidadania, Alexandre Gouveia Martins e o presidente do Costa Esmeralda Convention & Visitors Bureau, Deivid Swan.

Emocionada, Sandra Baron em sua fala contou uma pequena história, a parábola do “Pastor de camelos” onde a moral é “enquanto houver alguém que cumpra sua palavra e alguém que acredite nessa palavra dada, o mundo tem jeito”. E, vertendo lágrimas, ao final disse: “está muito difícil cumprir a palavra dada a cada artista, a cada apoiador, mas vou cumprir a minha palavra, nem que eu tenha que morrer pra isso, e eu vou continuar realizando esse festival”, sua fala é em consequência da atual conjuntura financeira que o país passa, especialmente Bombinhas após a temporada de verão considerada razoável.

O recém-formado Ministério da Cidadania abarcou a Cultura em suas funções, Alexandre Martins é parceiro contumaz em atividades culturais locais, e uma vez mais em território bombinense falou das singularidades do Festirua: “me chama atenção, algumas particularidades em torno do Festirua, mesmo sendo um festival recente, existe um clima de fraternidade que dá a impressão de um festival mais maduro. E a outra questão é a maneira como é organizado, envolvendo a comunidade, o empresariado e o poder público, uma rede de sustentabilidade que se criou no Festirua que é um modelo único, não vejo isso em outros festivais no Brasil, e é muito exitosa”. Após a solenidade de abertura o Grupo “Mamolengo sem fronteiras”, do Distrito Federal, apresentou o espetáculo “Exemplos de Bastião”, arrancando gargalhadas do público presente.

O Festirua este ano traz artistas de oito países que celebram os 30 anos de existência do “Teatro Lambe-lambe”, também chamado de Teatro de Miniaturas ou Teatro de Caixa, onde o espetáculo é apresentado dentro de uma caixa cênica de pequeno porte, por meio da manipulação de bonecos e objetos, para um espectador de cada vez. Na programação tem uma palestra com Ismine Lima e Denise di Santos, criadoras do Teatro Lambe-lambe, exposições, saraus, espetáculos com ações formativas e apresentações teatrais.

A Fundação de Cultura tem dois acontecimentos tradicionais inclusos na programação: o Pirão Cultural a ser realizado hoje, 29 de abril às 19h30, no restaurante O Alquimista Burguer, e a Tarde do Beijú a ser realizada na quinta-feira, 2 de maio, das 14 às 17 horas, no Espaço cultural Engenhod o Mininho.
A programação completa do 2º Festirua está disponível em https://festiruabombinhas.wixsite.com/festirua.

Fotos: Anna Lehm e  Marcinha Ferreira