segunda-feira, 1 de julho de 2019





Alunos da EEB Leopoldo José Guerreiro têm aula de Gastronomia no Engenho do Miminho.


O projeto “Vô Sabe, Vô Ensina” gastronomia recebeu na tarde de sexta-feira, 28 de junho, e manhã de segunda-feira, 1º de julho, no Espaço Cultural Engenho Do Miminho, as turmas 101 e 102 do 1º ano do EMITI da EEB Prefeito Leopoldo José Guerreiro. Os alunos aprenderam com a Mestre Salete Maria Pinheiro Pereira o feitio dos pratos típicos bombinense pirão, molho de camarão, linguiça frita e pirão de camarão. A melhor parte é que eles mesmos puseram, literalmente, a mão nos ingredientes e panelas, e não somente absorveram o conhecimento, como também ajudaram no preparo.

Acompanhados pelos professores Maria Cecilia Chicaguala (orientadora de convivência), Manoela Arruda (segunda professora), Daniela (matemática), Emanuela Viana Ricardo (filosofia), a gestora Ana Beatriz Passos, e responsável pelo projeto Pablo Villanova da disciplina de Arte, Cultura e Tecnologia – Acetec, exploraram além dos sabores, o espaço de memória bombinense, Engenho do Miminho, localizado no bairro José Amândio.

O professor Pablo explica que a ideia é trabalhar a culinária familiar e tradicional de forma a explorar a gastronomia enquanto cultura, a memória dos sabores e apropriar os alunos da relação cultural dos ingredientes com o todo que os circunda, desde os sentimentos até a relação com espaços, meio ambiente e tecnologia. “Cultura, sabor e história tem como objetivo despertar nos estudantes o interesse pela diversidade cultural e desenvolver nos mesmos as macrocompetências previstas pela Base Nacional Comum Curricular, além de estimular os aprendizados e competências para o século 21. A intenção é fazer com que os alunos se percebam como seres sociais parte de uma cultura, assim como de uma família que constrói sua própria identidade dentro desta variedade de culturas que formam nosso país e também nossa espécie”, ressalta o professor. O projeto desenvolvido pela escola trabalha interdisciplinarmente, abordando também as disciplinas de filosofia, história e sociologia.

Jackson da Cruz Schmidt, 15 anos, nasceu em Lages e mora em Bombinhas desde os cinco anos, e como muitos dos alunos da escola, desconhece a gastronomia local. Ele foi um dos que colaborou no feito dos pratos. “Foi muito especial fazer o pirão de linguiça porque, como não nasci aqui não é algo presente em minha mesa. E aprender a cultura daqui me ensina uma experiência nova. Agora que aprendi, vou passar pra frente”.
O projeto Vô Sabe, Vô Ensina disponibiliza à comunidade, gratuitamente, aulas de renda de bilro e crivo, gastronomia, e outros saberes tradicionais ministrados pelos Mestres da Cultura Tradicional de Bombinhas, ou discípulos dos mesmos.